Please ensure Javascript is enabled for purposes of website accessibility
 

Procuradoria Jurídica

23/07/2015

Prefeitura lança campanha contra vandalismo

“Resende sem vandalismo”: campanha busca conscientizar população

Prefeitura lança campanha contra vandalismo

Crédito: ACOM/PMR

A Prefeitura lançou nesta quinta-feira, dia 23 de julho, a campanha nas mídias sociais “Resende sem vandalismo”, em entrevista coletiva à imprensa. O objetivo é conscientizar a população que vandalismo é crime e quem paga por esses atos é o cidadão. Para denunciar, os moradores podem acionar a Polícia Militar, pelo 190, ou a Superintendência de Ordem Pública, pelo 3360-4755.

O prefeito José Rechuan destacou que só neste ano o vandalismo causou um prejuízo de cerca de R$ 100 mil aos cofres públicos, recurso que poderia ser empregado na compra de medicamentos, de material escolar, obras e outros serviços importantes para a população.

- As pessoas precisam entender que essas atitudes prejudicam todos os moradores. Em um momento de queda de arrecadação, precisamos investir bem os recursos municipais. Não podemos desperdiçar, tendo que repor o que já foi comprado. Sem contar que o processo de compra é demorado e nesse tempo a população fica sem o serviço – explicou o prefeito.

O comandante do 37° Batalhão da Polícia Militar, Wagner Cristiano Moretzsohn, adiantou que vai reforçar as rondas policiais, pedindo aos policiais mais atenção ao vandalismo. Ele sugeriu também o telefone do Disque Denúncia do estado do Rio de Janeiro, que garante o anonimato, mas gera um registro da denúncia. O número é 0300-2253-1177.

O Procurador-Geral do Município, Kléber Luis de Souza, informou que o artigo 163 do Código Penal Brasileiro, no inciso III, prevê pena de detenção, de seis meses a três anos, e multa, para crime de depredação do patrimônio público.

- A população precisa entender que isso é um crime, não é uma brincadeira de jovens. Além da detenção e da multa a Prefeitura pode ainda cobrar judicialmente o valor do dano ou a reparação imediata – disse.

O superintendente de Ordem Pública, Ney Arataú, anunciou a ampliação do número de câmeras, de 29 para 50, ainda neste ano. De acordo com ele, as câmeras têm ajudado na identificação de situações suspeitas.

- Quando há uma situação suspeita, a Central de Monitoramento imediatamente avisa a Polícia Militar. Com as novas câmeras, vamos monitorar mais pontos estratégicos da cidade, além de que os novos equipamentos terão uma definição melhor, para identificar suspeitos – afirmou.

Segundo o secretário de Saúde, Daniel Brito, o vaso sanitário do banheiro do Hospital de Emergência foi depredado recentemente, a antena da internet da unidade de saúde do Cabral foi furtada duas vezes, entre outras unidades que sofreram ações de vandalismo.

- No Hospital de Emergência temos dois vigias, mas não podemos controlar o que acontece dentro do banheiro. É preciso consciência e cidadania. No posto de saúde do Cabral, a marcação de consulta foi prejudicada porque não tinha internet – frisou.

Na Educação, o secretário Mário Rodrigues citou a janela do CIEP 489 Augusto de Carvalho (Cidade Alegria), que foi quebrada no último domingo e a A Escola Municipal Luiz Pistarini, em Bulhões, arrombada por seis vezes.

- Os invasores espalharam livros e materiais da escola pelo chão, danificando alguns deles. Dá para ver que a intenção é bagunçar. Por isso precisamos investir na prevenção, que é a formação educacional e cultural de cidadania – destacou, acrescentando que o tema será trabalhado nas escolas municipais.

 

Palavras chaves: CIDADANIA
Compartilhar

ÚLTIMAS NOTÍCIAS


Mapa do site

© Copyright 2022. Todos os direitos reservados.

AM4 - Inteligência Digital de Resultados