Resende

25º Min

25º Max

Home » Serviços »

Saúde

Botão Voltar
Botão Home

10/05/2018

PREFEITURA OFERECE PROCEDIMENTOS DE HISTEROSCOPIA, SEM FILA DE ESPERA

No último sábado, dia 5, 10 mulheres foram atendidas na Santa Casa

Créditos: Arquivo PMR

Mesmo com as dificuldades financeiras enfrentadas nos últimos anos, Resende está entre os poucos municípios do Estado que continuam a oferecer, de forma gratuita, exames e cirurgias de histeroscopia - procedimento ginecológico que identifica e corrige anomalias do aparelho reprodutor feminino, que podem, entre outras coisas, atrapalhar ou impedir a mulher de engravidar. No último sábado (05/05), por exemplo, dez mulheres foram beneficiadas com a realização da cirurgia, que é minimamente invasiva e permite que a mulher possa voltar para casa após o procedimento. Os procedimentos aconteceram na Nova Santa Casa.

 

Em 2017, a Prefeitura realizou 149 exames de histeroscopia diagnóstica e 30 cirurgias. Este ano, apenas de janeiro a maio, já foram feitos 39 diagnósticos com vídeohisteroscopia e 17 operações – 10 delas apenas no último sábado, colocando um ponto final na espera de quem aguardava pelo procedimento. A cirurgia histeroscópica, que é realizada em centro cirúrgico e com anestesia, diferente do exame que acontece no ambulatório ou no consultório médico, é indicada para retirar pólipos uterinos e miomas, além de corrigir malformações da cavidade do útero, entre outras indicações.

 

De acordo com o médico responsável pelos procedimentos, Gustavo Rodrigues, uma das grandes vantagens da cirurgia é o fato de ela ser pouco invasiva, reduzindo assim o tempo de permanência das pacientes no hospital.

 

- Na histeroscopia cirúrgica, se tudo ocorrer bem, não é necessária nem a internação da paciente e o procedimento é feito em cerca de 15 minutos, sem cortes, suturas ou cicatrizes. Já na parte diagnóstica, o exame de histeroscopia, que é um importante procedimento para investigação da cavidade uterina, podendo identificar alterações como pólipos, miomas e malformações do útero, também é rápido de pode ser feito no consultório – explica Gustavo Rodrigues, especialista em endoscopia ginecológica.

 

Os atendimentos são prestados na Nova Santa Casa de Misericórdia, na Casa da Mulher e também na APMIR (Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Resende).

 

O exame

 

A vídeohisteroscopia permite a visualização interna do útero, permitindo ao médico observar as causas de sangramentos uterinos anormais e dores pélvicas, além de alterações já verificadas em ultrassonografias e preventivos. O exame, solicitado pelo médico ginecologista, geralmente é indicado para mulheres com mais de 45 anos.