Resende

25º Min

25º Max

Home » Serviços »

Saúde

Botão Voltar
Botão Home

16/05/2017

Comemoração aos 30 anos do Dia Nacional de Luta Antimanicomial

Programação conta com palestra, filme e caminhada

Créditos: Carina Rocha/PMR

Três eventos marcam esta semana em Resende as comemorações pelo Dia Nacional de Luta Antimanicomial, celebrado na próxima quinta-feira, dia, 18. O objetivo das atividades, que contam com palestras, exibição de filme e uma caminhada no Calçadão de Campos Elíseos, é levar ao público informações sobre o tratamento psiquiátrico no município, além de sensibilizar a população sobre a importância da reforma psiquiátrica.

A programação teve início nesta segunda-feira, dia 15, às 13h, com a realização de uma palestra ministrada por Daniel Oliveira de Souza, articulador do Consultório na Rua do município de Manguinhos, RJ, e que atua como redutor de danos no CAPSAD Raul Seixas, do Rio de Janeiro. A palestra, aberta ao público, aconteceu na Universidade Estácio de Sá, no Jardim Brasília.

Já nesta terça-feira, dia 16, no auditório do Espaço Z, no Centro, será feita a exibição do filme “Nise, O Coração da Loucura”. Considerado como melhor filme no Festival de Tóquio, o longa conta o trabalho revolucionário desenvolvido pela psiquiatra Nise da Silveira, na década de 1940, no Manicômio de Engenho de Dentro, utilizando, de forma pioneira, o afeto e a arte como terapia. A exibição do filme, aberta ao público, está marcada para às 14h.

A programação comemorativa aos 30 anos do Dia de Luta Antimanicomial será encerrada na próxima quinta-feira, dia 18, às 8h, no Calçadão de Campos Elíseos, onde será feita uma caminhada e distribuição de folhetos à população. Os trabalhos artísticos produzidos pelos usuários do CAPSAD de Resende também estarão em exposição em tendas instaladas no local.

Reforma Psiquiátrica - O Movimento da Luta Antimanicomial teve início em 1987, em continuidade as ações de luta na área da saúde pública no Brasil por parte de profissionais de saúde que contribuíram para a criação do SUS. Naquele ano, a discussão sobre a possibilidade de uma intervenção social para o problema da saúde mental ganhou relevância, permitindo o surgimento específico deste movimento, que teve como lema "Por uma sociedade sem manicômios", ficando o dia 18 de maio foi definido como o Dia Nacional da Luta Antimanicomial.