Resende

25º Min

25º Max

Home » Serviços »

Desenvolvimento Rural

Botão Voltar
Botão Home

07/02/2018

RESENDE SEDIA ENCONTRO PARA FORMAÇÃO DE CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE INSPEÇÃO SANITÁRIA

Evento contará com a participação de representantes do Ministério da Agricultura e de Prefeituras da região

Créditos: Carina Rocha - PMR/Divulgação

Representantes do Ministério da Agricultura e das Secretarias Municipais de Desenvolvimento Rural da região, além de empreendedores que atuam no ramo do agronegócio, estarão em Resende nesta quinta-feira, 8 de fevereiro, para discutirem a formação de um Consórcio Intermunicipal de Inspeção Sanitária de Produtos Animais para a região sul fluminense.

 

Durante o encontro, marcado para às 11h na sede da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, um técnico do Serviço de Inspeção Federal (SIF) e outro da Prefeitura de Resende farão palestras sobre o processo de formação do Consórcio, que deverá contar com a participação dos municípios de Resende, Itatiaia, Porto Real, Quatis e Barra Mansa. A proposta de formação do Consórcio Intermunicipal é dividir os custos e reduzir os trâmites de inspeção sanitária de produtos como leite, queijo, mel e carnes produzidas na região.

 

Memória do café

 

No mesmo dia, às 10h da manhã, será realizado no entorno da Casa da Cultura, um plantio de mudas de café, marcando o lançamento do programa de Recuperação da Memória do Café em Resende. Durante o evento, que contará com a participação da Corporação Musical de Visconde de Mauá e de alunos da Escola Municipal Luiz Pistarini, o historiador Fúlvio Stage fará uma explanação sobre a história do café em Resende, relembrando porque o fruto já foi chamado de “ouro verde” na região. As mudas foram doadas à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural pelo Ministério da Agricultura.

 

O plantio, segundo a presidente da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, Denise Assis, é o primeiro passo para o resgate da memória do café em Resende, onde a cultura foi introduzida em 1729 pelo Padre Antônio Couto. Daqui, o café irradiou-se para toda a região, ditando o desenvolvimento das cidades que viveram um período de fartura e muita riqueza.

 

- O ciclo cafeeiro teve uma importância muito grande não só para Resende, como para toda a região e é esta memória que queremos resgatar e preservar para as futuras gerações. Para isso, estamos fazendo um levantamento de dados no nosso Arquivo Histórico e já debatemos também a criação de um Museu do Café na cidade – disse a presidente.